Boletim 264 - Um Servir que Transforma

Cada relacionamento pessoal é uma oportunidade para servir. Queremos aprender que Deus nos transforma e santifica enquanto nos usa na transformação de outros (1 Coríntios 3.6-9). Primeiro somos lavoura de Deus; depois nos tornamos trabalhadores na lavoura. Como se dá essa mudança? Primeiro recebemos cuidado, depois passamos a ajudar no cuidado de outros!

A dinâmica da vida cristã é que pessoas que precisam de transformação servem a pessoas que precisam ser transformadas.

Esse entendimento nos faz saber que servir é mais que uma função designada oficialmente na igreja e que ao percebermos isso, teremos muito mais oportunidades de sermos úteis e eficazes na igreja do que damos conta de fazer.

Servir é algo maravilhoso e sério ao mesmo tempo.

Efésios 4.15,16 afirma que é pelo serviço de cada parte, que o corpo efetua seu próprio crescimento. Deus nos chama para sermos seu povo e para sermos seus servos. Devemos deixar de ser apenas consumidores da fé, para nos tornarmos participantes comprometidos.

Ser membro de uma igreja é mais do que participar de eventos e estar ligado a uma organização, é um chamado que modela toda a nossa vida!

Como posso o exercitar na minha vida cristã o servir os outros? (como um cristão que é ao mesmo tempo marido, pai e irmão na fé).

Qual a melhor resposta? O que me faz levantar de manhã? O que e quem o motiva durante o dia? O que vale tanto a pena que você está disposto a dar-lhe do seu tempo, talento e energia?

Esta pastoral diz respeito à melhor notícia que a humanidade jamais poderia receber. É sobre algo tão significativo que faz com que tudo valha a pena, apesar de sermos pessoas imperfeitas num mundo despedaçado. Essa notícia não tem nada a ver com fantasias, sonhos, ou expectativas não realistas. Mas penetra na mais dura condição humana com a esperança de mudança de vida.   O Evangelho é a única coisa pela qual vale a pena viver (1 Timóteo 1.11b-17).

Como seres humanos, não podemos caminhar por nossa própria conta. Precisamos de transformação, cura e perdão. Resumindo, precisamos de Deus. Precisamos das Boas Novas do Evangelho, a notícia do rei que veio, tornando possíveis as mudanças permanentes. A nossa esperança pessoal é somente essa e também a base do nosso serviço para com os outros.

A melhor prática do reino não é a isenção de dificuldades, sofrimento e perda. Antes, é a notícia do Redentor que veio resgatar-nos de nós mesmos. O Redentor torna rebeldes em discípulos, tolos em ouvintes humildes. Ele faz com que paralíticos voltem a andar. Nele podemos encarar a vida e reagir com fé, amor e esperança. À medida que Ele nos modifica nos permite ser parte do que está fazendo na vida de outras pessoas. Ao responder ao trabalho de Cristo em nossa  vida,  aprendemos a sermos instrumentos em Suas mãos, para servirmos os outros com muita gratidão por tudo o que Ele fez em nós.

Então, o Evangelho nos ajuda a lidarmos com os nossos pecados pessoais. E consequentemente, ele nos remete a lidarmos com os pecados dos outros em nossa experiência cristã  de serviço(pais, filhos, amigos).  O que te motiva a levantar-se de manhã? A graça de Deus recebida, a boa nova do Evangelho, ou todos os seus compromissos seculares (trabalho, dívidas, família, status).

Portanto, o Evangelho gera o entendimento de que na obra do Senhor há uma dinâmica – pessoas que precisam de transformação ministram a pessoas que precisam ser transformadas. Quando o povo de Deus aprender que cada relacionamento é uma possibilidade de ministério pessoal, dependerá menos de uma indicação para um função, e entenderá , de fato, que tem sempre muitas oportunidades para servir.

O meu desejo com esta pastoral  é que ela seja um tremendo encorajamento para que você seja um poderoso instrumentos nas mãos de Deus para servir àqueles que Ele colocar em seu caminho.

Rev. Carlos Roberto (Bob)

Data: 
sábado, Julho 7, 2018