Boletim 268 - Uma Igreja Viva

Numa época de contestação às instituições sociais, políticas, culturais e religiosas, nenhuma instituição tem sido tão contestada em sua razão de ser, estrutura e valores, como a Igreja.

Ela é vista ora como um clube religioso, ora como um grupo de ação política e ora como um grupo de fanáticos tentando impor normas já de há muito ultrapassadas a um mundo de avançada tecnologia.

A Igreja instituída por Cristo há quase dois mil anos é ainda a mais atual, necessária e poderosa força para a transformação e salvação do homem.

Entretanto, ela só atingirá esse alvo enquanto operar na compreensão de que para servir ao Deus Vivo é preciso ser uma Igreja Viva. Sempre que os cristãos se dispuseram a dar um testemunho rico de significado e efeito,  vivendo em comunhão com Deus, amando e equipando os de dentro e amando e evangelizando os de fora, saindo das quatro paredes dos templos para um relacionamento efetivo com o povo de sua cidade ou do seu bairro, agindo de fato  como membros de uma Igreja Viva – Tornando uma Igreja Missionária na Comunidade.

Desta forma, temos um apelo para cada membro da Igreja do Parque, conforme a mensagem bíblica, que a Igreja de Cristo, não é o local, mas sim você, eu e nós que temos a vida eterna. Que sejamos uma Igreja Viva.  Bill Hybes em um dos seus livros pergunta: “Qual é a igreja mais importante do mundo?” “É a igreja que Deus está edificando dentro de você.”

Mediante este apelo, quais são os sinais de uma igreja viva que ainda hoje pode abalar o mundo?  Creio que um dos sinais de uma igreja viva é uma igreja que caminha junto. Uma igreja viva se preocupa verdadeiramente com os irmãos e não só almeja o crescimento espiritual de seus irmãos, como também está disposta a fortalecê-los na caminhada quando os passos estiverem fracos. Uma igreja viva é uma igreja que está unida, como um só corpo, e que não se limita às paredes do templo durante os cultos de domingo. Uma igreja viva vai além, muito além.

Por conseguinte, o tema da nova série de mensagens, que iniciaremos na Igreja do Parque “UMA IGREJA VIVA”, está relacionado que à vitalidade da igreja deve merecer a atenção de todos os membros que desejam ser fiéis à sua vocação, cumprindo eficazmente a sua missão. Cada cristão, na condição de membro do Corpo de Cristo, deve buscar a sua saúde espiritual, a fim de contribuir para a vitalidade do Corpo.

Assim, ministraremos hoje e nos próximos domingos as marcas que caracterizam uma Igreja Viva e, que são inconfundíveis. Elas precisam ser cultivadas, com o auxílio do Espírito Santo, para que se tornem evidentes em tudo o que a nossa igreja fizer. São elas: Uma comunidade que vive e celebra a comunhão cristã; Uma comunidade que serve na capacitação do Espírito Santo; Uma comunidade que acolhe com amor a todos; Uma comunidade que busca a santidade na pratica; Uma comunidade que evangeliza como um chamado à obediência.

Sempre com uma visão bíblica, para ministrar através dos temas, que uma igreja viva:  vibra com a presença do Espírito Santo; se alegra com a comunhão dos irmãos; respeita as diferenças, discerne o momento. Uma igreja viva é fiel a Bíblia, ama as pessoas e prega o evangelho. Contudo, amá-las significa compreendê-las e comunicar-se com elas. Pregar o evangelho significa proclamá-lo sobre a Palavra que se tornou carne – portanto proclama que o corpo de Cristo deve se encarnar em toda expressão cultural.

Portanto, este tema relacionado à vitalidade da igreja deve merecer a atenção de todos os irmãos da Igreja do Parque, que desejam ser fiéis à sua vocação, cumprindo eficazmente a sua missão.

Pois bem, concluímos que essa série propõe uma reflexão sobre o que significa ser uma Igreja Viva, segundo o modelo apresentado na Palavra de Deus.

Que o Senhor, com sua imensa graça, nos aperfeiçoe continuamente.

 

Rev. Carlos Roberto (Bob)

Data: 
sábado, Agosto 4, 2018