BOLETIM 305 - ENTENDENDO POR QUE FICAMOS IRADOS

Queridos que situações te fazem perder a calma no dia a dia? Hoje nesta pastoral falaremos sobre a ira. O que é Raiva: é privação de raciocínio lógico, falta de calma. O que é Ira: sentimento agonizante da qual o indivíduo passa a ser dominado pela raiva. Diferença entre raiva e ira. Uma pessoa pode ficar com raiva porque se machucou ao chutar uma pedra, porque não conseguiu algo que queria, porque alguém a ofendeu etc. A ira é a evolução natural da raiva. A grande diferença entre um e outro é que a ira fomenta uma reação imediata e por vezes desmedida. O clássico “bateu, levou”.

A ira pode se manifestar em silêncio, porque temos resolvido não lutar. Pode se mostrar em críticas severas e correção implacável. Pode atingir pessoas que não têm nada a ver com a origem da ira. A pessoa irada sempre justifica seus erros. Afinal de contas, Jesus ficou irado (Mc. 3.5), e Paulo disse: "Irai-vos e não pequeis" (Ef 4.26). No entanto, a boa ira entre pessoas caídas é rara. Leia o que Tiago e Paulo disseram: Tg 1.19-20; I Timóteo 2.8; Efésios 4.31. Uma das maiores lutas é manter "longe de nós a ira", e não apenas para controlar suas expressões. A ira não surge do nada. Todos nós temos necessidades psicológicas básicas que precisam ser atendidas de maneira adequada para podermos desfrutar de um equilíbrio emocional.

Quando essas necessidades não são atendidas, experimentamos emoções desconfortantes, incluindo a ira. A dificuldade persistente em lidar com a ira implica necessidades psicológicas mal resolvidas. A raiva/ira podem ser vencidas quando Deus age pela ação transformadora Espírito Santo, e ao orar com frequência, pedindo a intervenção divina. Entendendo o porquê da raiva/ira: o pecado é sempre estúpido, e quando você peca, você parece estúpido. Quando experimentamos algo de que não gostamos, algo inaceitável, ficamos com raiva. Somos todos amantes. O problema é que amamos muito as coisas erradas: Quando nossos amores são ameaçados, reagimos - ficamos com raiva. Você sabe como isso acontece? Fomos criados para amar a Deus em 1º lugar, mas como pecadores, valorizamos mais a nós mesmos e às coisas que nos servem.

Pense no que realmente te faz ficar com raiva: Não é a injustiça ou o tráfico de seres humanos. É o engarrafamento, a fila do banco ou supermercado, é quando nossas opiniões não são acatadas, é quando nos sentimos subestimados. A maior parte da nossa raiva pecaminosa acontece quando estamos tão cegos por ser o centro de tudo que achamos a realidade inaceitável se ela não está me servindo e me dando o que eu quero. Simplificando, se nos sentimos muito irritados, é porque nos amamos demais, somos crianças egocêntricas, tudo tem que girar em torno de nós.

O fim da raiva: só pode vir pela paz nas nossas almas e pelo domínio próprio gerado pelo Espírito Santo. Quando a raiva começar a aumentar, o estresse começar subir, pare e pergunte: O que eu estou amando tanto agora que está me fazendo responder dessa maneira? O que é que eu valorizo, que eu realmente me importo que está me deixando irado? O fim da raiva só pode vir quando experimentamos a transformação daquilo que é o nosso maior amor e devoção. Amar o que Deus ama desejar a sua glória e perseguir sua vontade tão implacavelmente que mesmo no meio do caos, quando as pessoas estão insultando você , podemos, como ele, amar os outros mais do que nos amamos pela alegria maior que nos é dada. "Ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga retamente" (1 Pedro 2.23). Que matemos nossa ira e lutemos por alegria e amor a cada dia.

 

Rev. Carlos Roberto (Bob)

Data: 
sexta-feira, Abril 26, 2019