Informativos / Boletins

  • 120 - APRENDA A OBEDECER
    12/07/2015

    É importante que não somente ouçamos a Palavra de Deus, mas também que lhe obedeçamos. Caso contrário, seremos iludidos por meio da Palavra. Você deve lembrar-se da história do rei Balaque, que procurou Balaão para amaldiçoar Israel. Porém Balaão, ávido pela enorme quantia em dinheiro e também pelo prestígio da posição,  não estava disposto a aceitar a resposta de Deus. Ele dirigiu-se novamente ao Senhor, perguntando mais uma vez se poderia ir a Balaque. Dessa vez, Deus disse: ”Vá em frente”, mas Balaão estava debaixo do juízo de Deus. Se você não estiver disposto a obedecer a Deus, ele pode permitir que você ouça o que deseja ouvir.

  • 119 - Se Quiseres, Podes Purificar-me (Lucas 5.12-16)
    05/07/2015

    Feche seus olhos, imagine a cena. Um homem coberto de lepra e cerimonialmente imundo. O outro totalmente puro. Quem sabe de onde ele veio? O fato é que apareceu ali, diante de Jesus e se dirigiu a ele sujo, desfigurado, irreconhecível, intocável, intratável, miserável, condenável... Mas ele apareceu ali diante de Jesus, dos discípulos e de toda a multidão. Ele veio gritando como podia: “_ Imundo! Imundo!” para que todos se afastassem, até chegar à presença de Jesus.

  • 118 - DEUS é “DEUS” - Uma redundância necessária!
    28/06/2015

    “Com quem comparareis a Deus?” (Isaías 40.18)

    Nosso título é propositadamente redundante: “Deus é ‘Deus’”. A razão desta proposital redundância é que para muitas pessoas Deus deixou de ser considerado como “Deus” há muito tempo e sua relação com ele beira a “blasfêmia”.

  • 116 - VIDA QUE É DIGNA DE SER VIVIDA
    14/06/2015

    Leandro Konder tem um artigo primoroso intitulado “O curriculum mortis e a reabilitação da autocrítica”, no qual ele afirma que “forjamos para nós imagens que nos ajudam a viver”. E diz: O autoritário se apresenta como enérgico e corajoso; o oportunista como prudente ou realista; o covarde como sensato; o irresponsável  como livre”. Gosto da expressão que ele usa no título do texto:  curriculum mortis. Ele diz que o que nós chamamos de curriculum  vitae não é currículo de  vida interira, porque só apresenta o lado positivo. É apenas a história dos sucessos. Ninguém inclui no curriculum vitae: reprovado no concurso em 1985 ou traído pela namorada na primavera  de 2002. Só se  faz referência aos acertos. E Konder  lembra que nós, humanos, não somos, em nossa imensa maioria, campeões invictos, heróis, etc. Não é necessário mudar o nome desse histórico  que apresentamos, só devemos sempre lembrar que há um curriculum mortis  - o lado do malogro, o lado do enfrentamento das dificuldades. E que há necessidade de reconhecer tais dificuldades, para enfrentá-las e superá-las, criticamente. Todos nós temos um curriculum mortis, embora ninguém goste de falar de seu, de revelá-lo.

  • 115 - ARREPENDIMENTO TRAZ RESTAURAÇÃ0
    07/06/2015

    Abordaremos nesta pastoral o tema: Arrependimento Para Restauração. Reflexão extraída do texto bíblico de Lamentações 3. 40-51.

    Cabe aqui uma pequena introdução do livro de Lamentações.  Foi escrito logo após o rei Nabucodonosor ter ordenado a invasão de Jerusalém em resposta à rebelião de Judá contra a Babilônia. O ataque destruiu a maior parte de Jerusalém, reduziu o Templo a cinzas e levou a todos, exceto a população mais pobre, para o exílio (II Reis 24.20-25.21).

Páginas