Nossa História

IPPI – Um pouco da nossa história...

(Recordar é Louvar e Servir a Deus)

A Igreja Presbiteriana do Parque Industrial de Campinas teve seu início em 1992, com reuniões de oração na residência da irmã Irene Ávila Figueiredo, na Avenida João Batista Morato do Canto, 2.239, no Parque Industrial.

Estas reuniões aconteceram sempre às sextas-feiras, 20h, até maio de 1998, quando o reverendo Ricardo Soares Mattos incentivou o grupo a se reunir na Rua Benedito Ferreira Marques, 86, como Ponto de Pregação. Assim, no dia 7 de Junho de 1998 formou-se o Ponto de Pregação do  Parque Industrial.

A primeira equipe de trabalho foi composta por: Eduardo Rozário, Adriano Penedo Martins, Irene Ávila Figueiredo, Ronaldo Fernandes e o Presbítero Antônio Carlos do Patrocínio.

Vários pastores e seminaristas também colaboraram com o trabalho: reverendo Ricardo Soares Mattos, reverendo Breno Martins Campos, reverendo Hélerson Silva, reverendo Jônatas Alves de Oliveira e os seminaristas Carlos Eduardo Borges e Aristides Aparecido Bueno.

O primeiro casamento na congregação foi de José Carlos da Silva e Cátia Eulália da Silva em 21 de novembro de 1998. E que os mesmos irmãos foram os primeiros a serem recebidos por batismo e pública profissão de fé em 17 de janeiro de 1999.

Nesta mesma data, o Conselho da Igreja Presbiteriana de Campinas designou oficialmente para ajudar neste trabalho os irmãos: reverendo Jônatas Alves de Oliveira, seminarista Carlos Eduardo Borges, presbítero Antônio Carlos do Patrocínio e diácono Carlos Chiaríssimo Caravita. Nesta mesma data o reverendo Jônatas, num culto público, organizou o Ponto de Pregação em Congregação do Parque Industrial, onde foram recebidos mais 12 membros da Igreja Presbiteriana de Campinas.

Cinco meses depois, no dia 18 de junho de 1999, aconteceu o primeiro culto da Congregação no imóvel alugado na Rua José Pinto de Camargo, 90, onde as atividades acontecem até os dias atuais.

Entre 1999 e 2001 o reverendo Jônatas Alves de Oliveira, assumiu parcialmente a Congregação do Parque Industrial, juntamente com outras congregações da Igreja Presbiteriana de Campinas. Porém, de 2002 a 2006 dedicou-se integralmente ao Parque Industrial. Nos anos de 2007 e 2008 o seminarista Douglas Ribeiro foi o responsável pelos trabalhos da Congregação.

Devido às dificuldades que surgiram em 2009 na Congregação, o Conselho da Igreja Presbiteriana de Campinas decidiu estabelecer um prazo de quatro meses (de janeiro até abril) para optar pelo fechamento ou não da mesma. Caso ocorresse o fechamento, os membros seriam transferidos para a sede.

Os obreiros designados para este acompanhamento de quatro meses foram o reverendo Carlos Roberto de Freitas (pastor Bob) e o Presbítero Ivan Mota Lee, este acompanhado por sua esposa Virgínia Sampaio Lee e seu filho Gabriel Sampaio Lee.  Ao final do prazo estabelecido pelo Concílio, deveriam entregar um relatório.

A partir deste acompanhamento, a Congregação reagiu positivamente e, com a graça de Deus, o relatório encaminhado concluiu pelo não fechamento.

Desde então, a Congregação do Parque Industrial cresceu muito e, todos os anos, cumpriu seus alvos e metas. No ano de 2010 o reverendo Jônatas Alves de Oliveira desafiou à Congregação e aos seus membros a fazer um projeto de organização em Igreja.

Portanto, em setembro de 2010, a comunidade e o reverendo Carlos Roberto de Freitas, elaboraram um projeto bem detalhado visando o crescimento quantitativo e qualitativo da membresia. Definiram também a criação de uma realidade financeira autossuficiente para adequar às demandas de uma Igreja organizada e, consequentemente, para adquirir um imóvel próprio.

Neste projeto foi proposta a formação de um quadro de líderes equipados e capacitados para assumir o Diaconato e o Presbiterato. O agendamento da organização foi sugerido para o final de 2013 ou início de 2014.

A Congregação teve um crescimento acentuado em todos os quesitos, tendo que antecipar a data prevista no projeto para sua organização.

A comunidade cresceu nos últimos três anos com significativa participação no culto vespertino dominical. Saltou de 13 participantes em 2009 para 159 membros em 2003, sendo 134 comungantes e 25 não comungantes.

Diante deste resultado positivo, o Conselho da Igreja Presbiteriana de Campinas resolveu encaminhar a documentação exigida para a organização da Igreja Presbiteriana do Parque Industrial, conforme os registros de Ata no 1930, datado de 06 de Outubro de 2012.

A Congregação, por sua vez, cumpriu com todas as condições exigidas pela legislação vigente da Constituição da Igreja, conforme previstos no Artigo 5o da CI/IPB, que diz:

Art. 5o - Uma comunidade de cristãos poderá ser organizada em Igreja , somente quando oferecer garantias de estabilidade, não só quanto ao número de crentes professos, mas também quanto aos recursos pecuniários indispensáveis à manutenção regular de seus encargos, inclusive as cousas gerais, e disponha de pessoas aptas para os cargos eletivos.

E notificou o PCPN que, em 2010, o Conselho da Igreja elaborou um Projeto de Organização da Congregação, que respondeu aos desafios propostos e cumpriu com vantagens às exigências estabelecidas, encontrando-se em condições de organizar-se já em Igreja, conforme a ampla documentação anexa que demonstra a devida vitalidade e estabilidade da comunidade.

Na III RO/PCPN-2012, sobre a organização da Igreja Presbiteriana do Parque Industrial em Igreja, o Presbitério de Campinas resolveu:

1.            Congratular-se com a iniciativa, louvando a Deus por suas bênçãos sobre a Comunidade;

2.            Deferir o Requerimento;

3.            Designar a seguinte Comissão Organizadora: rev. Ricardo Soares Mattos (Relator), rev. Jônatas Alves de Oliveira (Pregador), rev. Wilson Emerick de Souza e presbíteros: Luiz Carlos Corrêa e Renato de Arruda, para que no dia 24 de fevereiro de 2013 proceda-se o Rito de Organização da Igreja local conforme capítulo XVI Art. 40 a 43 e seus Parágrafos dos PL;

Pois bem, chegou o dia tão esperado e estamos como quem sonha, mas com toda a acuidade dos momentos vivenciados até aqui. Só podemos aferir como o salmista "isto procede do Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos. Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele".  Salmo 118.23,24.

Desta forma, não podemos emudecer os nossos lábios e nem segredar os nossos corações, mas sim a Deus agradecemos pela vida de todos que escreveram e escrevem a história da Igreja Presbiteriana do Parque Industrial: Os irmãos da Igreja do Parque Industrial.